sexta-feira, 2 de outubro de 2009

PALAVRA DE VIDA
Outubro de 2009
Chiara Lubich
«Pela vossa perseverança
salvareis as vossas almas»
(Lc 21, 19).
(…)
“Perseverança”. É a tradução da palavra grega original, que inclui também outros significados: a paciência, a constância, a resistência e a confiança.
A perseverança é necessária e indispensável quando se tem um sofrimento ou uma tentação, ou se tem a tendência para desanimar, quando se é aliciado pelas seduções do mundo, quando se é perseguido.
Penso que cada um de nós já se encontrou em pelo menos uma dessas circunstâncias, e por isso já experimentou que, sem a perseverança, poderia muito bem ter sucumbido. Talvez até já cedemos algumas vezes. Ou pode ser que, neste preciso momento, nos encontremos mesmo numa dessas dolorosas situações.
E então, o que fazer?
Recomeçar e… perseverar.
De outra forma não é válido para nós o nome de “cristão”.
Sabemos muito bem que: quem quer seguir Cristo deve pegar todos os dias na sua cruz, deve amar – pelo menos com a vontade – o sofrimento. A vocação cristã é a vocação para a perseverança.
Paulo, o apóstolo, mostra a sua perseverança, à comunidade, como sinal de autenticidade cristã.
E não tem medo de a colocar no mesmo plano que os milagres.
Quando amamos a cruz e perseveramos, podemos seguir Cristo que está no Céu, e, portanto, salvarmo-nos.
«Pela vossa perseverança
salvareis as vossas almas»
(Lc 21, 19).
Podem distinguir-se duas categorias de pessoas: as que sentem o convite para serem verdadeiros cristãos, mas em cujas almas este convite cai como uma semente num terreno cheio de pedras. Há muito entusiasmo, semelhante a um fogo de palha, e depois não fica nada.
Por outro lado, há aquelas que recebem o convite como um terreno bom recebe a semente. E a vida cristã germina, cresce, ultrapassa as dificuldades e resiste às tempestades.
Estas últimas possuem a perseverança e…
«Pela vossa perseverança
salvareis as vossas almas»
(Lc 21, 19).
Claro que, para perseverar, não nos podemos apoiar unicamente nas nossas forças.
Vai ser necessária a ajuda de Deus.
Paulo chama a Deus: «O Deus da perseverança» (Rm 15, 5).
É a Ele, portanto, que devemos pedir a perseverança, e Ele não deixará de no-la dar.
Porque, se somos cristãos, não nos podemos contentar com o termos sido baptizados ou com uma ou outra prática esporádica de culto ou de caridade. É necessário crescermos como cristãos. E todo o crescimento, no campo espiritual, não existe se não for no meio de provas, sofrimentos, obstáculos e batalhas.
Quem sabe realmente perseverar são aqueles que amam. O amor não vê obstáculos, não vê dificuldades, não vê sacrifícios. E a perseverança é o amor posto à prova.
(…)
Maria é a mulher da perseverança.
Peçamos a Deus que acenda no nosso coração o amor por Ele. Então a perseverança, em todas as dificuldades da vida, surgirá em nós como consequência, e com ela salvaremos a nossa alma.
«Pela vossa perseverança
salvareis as vossas almas»
(Lc 21, 19).
Mas, além disso, a perseverança é contagiosa. Quem é perseverante encoraja também os outros a irem até ao fim.
(…)
Temos que ter metas altas. Nós só temos uma única vida e também esta é breve. Cerremos os dentes dia após dia, enfrentemos todas as dificuldades que surgirem para seguir Cristo… e salvaremos as nossas almas.
Palavra de Vida, Junho de 1979, publicada integralmente em Essere la Tua Parola. Chiara Lubich e cristiani di tutto il mondo, vol. II, Città Nuova, Roma 1982, pp. 25-28.

2 comentários:

Nova Civilização disse...

Água Viva,

obrigada por postar esse texto. Hoje vivo sobre a perseverança e ler essas palavras é algo que me acalma e me dá a certeza de que Deus realmente está ao meu lado, me dando coragem para seguir.


Gisele.

Canela disse...

Olá Pe. Marcelino;

Desde que encontrei o seu blog, é raro o dia que não passe por cá.


Venho informá-lo que tem um Selo lá no meu Blog.

http://marcomcanela.blogspot.com/2009/10/obrigada-dulce.html

Beijinho

Canela