domingo, 22 de novembro de 2009

Ser feliz...
Ser padre é ser feliz.
Com toda a certeza, e sem espaço para qualquer dúvida, se me perguntam o que é ser padre, só posso responder: É ser feliz.
"O meu coração e a minha carne exultam no Deus vivo" (Sl. 84 [83], 3).
Afirmo-o sem ilusões poéticas e plenamente consciente de que a vida não é fácil... a vida dos sacerdotes não é fácil. Mesmo assim e também na dureza da vida, ser padre é ser feliz... é que "eu sei a fonte que mana e corre embora seja noite..." (cf. São João da Cruz), "sei em quem pus a minha confiança" (2Tm 1, 12) até porque "se Deus é por nós, quem será contra nós?" (Rm 9, 31).
De verdade e do fundo do coração, ser feliz... é o que posso e tenho que partilhar...
O Bom Deus, até mesmo quando a homilia me não correu bem, quando sou justa ou injustamente criticado, quando me confronto com as minhas debilidades e não sou suficientemente generoso e paciente, quando fisicamente estou cansado e o meu espírito pleno de preocupações, de projecto, de questões mais simples ou complicadas de resolver: "exulto de alegria em Deus meu salvador" (cf. Lc 1, 47).
É tão frequente, muito frequente mesmo, sobretudo ao Domingo, depois de um dia pleno a sustentar na fé, os meus irmãos... depois de um dia cheio a partir-lhes a Palavra e a distribuir-lhes o Pão... a ser o instrumento de que Deus se serve para os restaurar, para lhes devolver a esperança...
Que festa..., que alegria Senhor, o coração não me cabe no peito, tal é a alegria que me concedeis. Quem vê o padre, no "seu" carro, de regresso a casa e se apercebe que canta, só pode pensar:
"Está tonto, coitado". E tem razão, tonto de alegria e com o coração em festa, pois não lhe faltais, Senhor. Tonto, por só na fé conseguir entender que, apesar dos seus pecados o compensais tão abundantemente pelos suas insignificantes e tropegas "generosidades".
Ser feliz... a isso me chamais.
Com uma felicidade indizível me preencheis.

"A minha alma glorifica o Senhor e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador..." (Lc 1, 46-47).

5 comentários:

Nova Civilização disse...

Pe Marcelino,

que felicidades em ler esse texto repleto de amor!

obrigada pela partilha,

Gisele.

Canela disse...

LOUVADO SEJA DEUS!

GLÓRIA! GLÓRIA! GLÓRIA!

Mas que alegria contagiante em Cristo, Pe. Marcelino! Mais não digo... só atrapalharia...

Que DEUS N. Senhor o abençoe e guarde.

joaquim disse...

Que felicidade é para um leigo ver a felicidade do Sacerdote em o ser.

Que Deus o abençoe sempre com o dom da alegria, do qual tantos cristãos andam arredados.

Abraço em Cristo

Canela disse...

Pe. Marcelino;

Tem um "selinho" á sua espera lá no meu cantinho.

Canela disse...

Olá;

Eu não deixei aqui um convite a receber novo selo, lá no meu blog?

Não o vejo?!!

Se o apagou tudo bem. Será que estou a ver bem?

Desculpe fiquei baralhada.