sábado, 24 de abril de 2010

O sacerdote é PONTE
A propósito do Domingo do Bom Pastor e pensando no dom do Sacerdócio Ministerial, para a Igreja e para o mundo, procurava uma imagem que, de alguma forma, mesmo se incompleta e limitada, pudesse ajudar as "minhas" comunidades cristãs a entender a beleza indescritível do sacerdócio, que brota directamente do coração de Deus.
Ocorreu-me PONTE.
Porque possibilita o encontro entre Deus e o Seu Povo: o sacerdote é Ponte.
Porque pela Palavra e pelos Sacramentos encaminha o Povo para Deus: o sacerdote é Ponte.
Porque procura gastar completamente, sem guardar nada para si, a sua vida, para que os demais participem da vida de Deus e Deus das suas vidas: o sacerdote é Ponte.
Porque é escolhido de entre o Povo, completamente mergulhado, tocado, empapado do Divino e devolvido ao povo, a fim de o tocar, mergulhar, empapar do Divino... com a missão de potenciar o encontro entre O Divino e o humano, com vista a divinizá-lo: o sacerdote é Ponte.
E, como as pontes comuns está, discretamente e gozosamente ao serviço, debaixo do pés de todos, completamente esquecido de todos.
Porque, como as pontes comuns, a vida dos sacerdotes só tem sentido se permitir, possibilitar, potenciar o encontro de Deus com o Seu Povo.
E, como as pontes comuns, só nos lembramos dele, quando não estão no seu posto, quando faltam... quando são escassos... o que é muito bom e mesmo fundamental, pois a sua função é diminuir, apagar-se, desaparecer para que Ele cresça (cf Jo 3, 30).
"Senhor, que de verdade eu seja sacerdote Ponte, que possibilita o encontro entre Vós e o Vosso Povo. Que esteja ao serviço deste Divino encontro, mas fique completamente esquecido e oculto... pois o que importa é que o Vosso Povo, cada vez mais, Vos conheça e Vos ame. O que importa é que Vós cresçais cada vez mais na vida da Humanidade. Senhor, que eu diminua, desapareça, seja esquecido e me oculte cada vez mais no Vosso Coração".

1 comentário:

Nova Civilização disse...

Pe Marcelino,

há alguns dias venho refletindo enquanto podemos nos servir como pontes aos nossos semelhantes. O quanto podemos nos ajudar frente as travessias da nossa vida. E hoje encontro esse seu post cheio de verdades que me deixaram muito feliz. Só tenho a agradecer,

abraços fraternos

Gisele